top of page

Sintoma: Preocupação! Algumas características | Psicóloga Maisa Lanzarin

Como já foi mencionado anteriormente, a preocupação é o componente central de todos os transtornos de ansiedade e da depressão. Nós nos preocupamos com tudo – ser rejeitado, ir mal em uma prova, não estar com a aparência tão boa, a opinião dos outros sobre nós, ficar doente, sofrer uma tragédia, perder dinheiro, chegar atrasado, ficar louco, ter pensamentos e sentimentos estranhos, ser humilhado.


As nossas crenças – “forma de ver o mundo” – influenciam nossos pensamentos que, por sua vez, influenciam na forma como nos sentimos. Se a preocupação é um sentimento, ela advém de um pensamento; este que por sua vez foi gerado por uma crença.


Os preocupados têm as seguintes crenças:

  • Não posso aceitar meus sentimentos;

  • Ninguém compreende como me sinto;

  • Minhas emoções não fazem sentido;

  • Tenho vergonha do que sinto;

  • Se tiver uma emoção forte, ela vai fugir ao meu controle;

  • Meus sentimentos fortes vão durar muito tempo;

  • Devo estar absolutamente certo em relação ao que sinto – não suporto ter sentimentos confusos.

Assim, você mantém-se preocupado pelos seguintes motivos:

  1. Você acredita que a preocupação ajuda a resolver problemas – como se o fato de pensar muito sobre um problema te deixasse próximo a uma solução sobre ele;

  2. Você acredita que o mundo é perigoso e que não consegue lidar com ele – quando você acredita que coisas ruins possam acontecer e acredita que pensar sobre isso pode ajudar a evitar que o pior aconteça;

  3. A preocupação ajuda-o a não pensar no pior resultado possível – “se eu puder estar atento a todas as coisas menores que antecedem a catástrofe, posso percebê-la antecipadamente e, assim, evito pensar ou imaginar a própria catástrofe”.

  4. Sua preocupação não o deixa sentir emoções fortes – você prefere pensar nos problemas a sentir emoções; assim, não precisa lidar com o impacto emocional das coisas que lhe acontecem.

  5. Você não fica ansioso quando está preocupado – como as pessoas preocupadas estão tensas na maioria das vezes, qualquer nova situação ameaçadora não aumenta significativamente seu nível de ansiedade, já que esta é uma constante.

  6. A preocupação proporciona a ilusão de controle – você tenta controlar o que vai acontecer pensando nas piores possibilidades e depois procura soluções.

  7. Você sente que a preocupação significa que você é responsável – acreditar que tem a responsabilidade de pensar sobre todos os resultados ruins que possam acontecer e, então, de buscar formas de impedir que aconteçam.

  8. A preocupação é uma forma de reduzir a incerteza.

No entanto, todos esses pensamentos são distorcidos. Manter o pensamento ansioso não fará de você uma pessoa mais responsável, tampouco vai evitar que algo ruim aconteça; afinal, você não tem como controlar coisas do “acaso” ou ter algum tipo de certeza sobre o futuro.

Em psicoterapia, são empregadas técnicas para o manejo da ansiedade e para a correção das crenças distorcidas que mantém o indivíduo nesta condição.

Gostaria de saber mais ou agendar um horário? Clique aqui para entrar em contato.

bottom of page