top of page

Compulsão x Restrição: A "Cara" da Bulimia Nervosa | Psicóloga Maisa Lanzarin

A Bulimia Nervosa (BN) é um transtorno alimentar caracterizado por episódios recorrentes de compulsão alimentar seguido por comportamentos compensatórios inapropriados a fim de impedir o ganho de peso, como vômitos autoinduzidos, uso indevido de laxantes e diuréticos, jejum ou exercício físico em excesso.


Predominantemente associada ao sexo feminino, a bulimia nervosa normalmente tem início na adolescência ou idade adulta jovem. Com uma autoavaliação indevidamente influenciada pela forma e pelo peso corporais, as mulheres que apresentam o transtorno são muito preocupadas com o peso e em serem magras, com pensamentos disfuncionais a respeito do formato corporal, do peso e da alimentação. Apresentam baixa auto-estima e sintomas depressivos e/ou ansiosos. Normalmente possuem histórico de obesidade infantil.


A crença distorcida mais comum na BN é a de que “para que me aceitem no grupo, é importante que eu seja magra; as pessoas magras têm mais sucesso”. Num ciclo vicioso que se retroalimenta, a autoavaliação influenciada pela forma e peso corporais leva à baixa auto-estima, gerando preocupação excessiva em emagrecer e levando à restrição alimentar. A restrição, por sua vez, desencadeia episódios de compulsão alimentar, seguido pelo comportamento compensatório de purga.


Já as distorções cognitivas mais comuns no transtorno são:


Pensamento do tipo “tudo ou nada”: “Preciso ser magra para os outros gostarem de mim”;

Hipergeneralização: “Para emagrecer, é preciso provação e sofrimento”;

Catastrofização: “Comi demais, preciso compensar isso de alguma forma”.


A Bulimia Nervosa exige tratamento multidisciplinar. A terapia cognitivo-comportamental atua na correção da distorções acima mencionadas.

Gostaria de saber mais ou agendar um horário? Clique aqui para entrar em contato.

bottom of page