top of page

A compulsão alimentar durante a pandemia | Psicóloga Maisa Lanzarin

Fatores estressores e sentimentos negativos são os maiores gatilhos para as crises de compulsão alimentar. A comida vai muito além de nutrir; é através dela que buscamos alívio para o desconforto emocional. Que atire a primeira pedra quem nunca tentou aliviar a frustração pelo término de um relacionamento com uma barra de chocolate ou um dia estressante no trabalho num pote de sorvete…

Para caracterizar um episódio de compulsão alimentar, é preciso haver a ingestão, em um período determinado de tempo, de uma quantidade de alimento definitivamente maior do que a maioria das pessoas consumiria no mesmo período, sob circunstâncias semelhantes. É acompanhada da sensação de falta de controle sobre a ingestão. Já para caracterizar um Transtorno de Compulsão Alimentar, os episódios devem ocorrer, em média, na frequência mínima de uma vez por semana, pelo período de 3 meses.


O isolamento social causado pela pandemia do novo Coronavírus, bem como o medo e a ansiedade diante da situação e o ócio durante este período acabam por favorecer a ocorrência de episódios de compulsão alimentar. Listamos aqui algumas estratégias para lidar com esta situação:


1 – Acredite que você detém o controle: Se você agiu por impulso e perdeu o controle alimentar em algum momento, isso não significa que você não possa reverter essa situação. Um episódio isolado não fará você, necessariamente, aumentar de peso ou colocar por água abaixo todo o seu esforço. Assuma a responsabilidade pelo seu comportamento e foque em retomar uma alimentação equilibrada já na próxima refeição.

2 – Tenha cuidado com os pensamentos sabotadores: Muitas vezes o sentimento de fracasso que surge após a compulsão alimentar gera pensamentos do tipo: “agora que eu já exagerei, não adianta mais o esforço; vou comer o que eu tiver vontade mesmo” ou “já estou acima do peso mesmo, mais um doce não vai fazer diferença”. Como mencionado no item anterior, já a partir da próxima refeição é possível retomar o controle.

3 – Aprenda a tolerar a vontade de comer: É comum as pessoas sentirem mais vontade de consumir doces em algum período do dia (logo após o almoço ou à noite, por exemplo). Aprenda que você não precisa ceder a essa vontade imediata; se você conseguir tolerá-la por alguns minutos sem ceder ao impulso, ela irá desaparecer.

4 – Tire o foco da comida: Quando a vontade de consumir o alimento for muito intensa, tente se distrair com algo de que você gosta.

5 – Não mantenha doces ou guloseimas na despensa: Quando você sente vontade de comer doce e sabe que basta abrir o armário da cozinha para ter acesso a ele, obviamente há uma dificuldade maior em manter o controle. Então, evite de armazenar em sua casa este tipo de alimento.

6 – Busque ajuda psicológica: Esteja atento aos seus sentimentos e procure acompanhamento profissional se necessário. Muitos psicólogos estão realizando atendimentos na modalidade online, prática totalmente regulamentada pelo Conselho Federal de Psicologia. É o acesso ao cuidado de forma prática, flexível e segura.

Gostaria de saber mais ou agendar um horário? Clique aqui para entrar em contato.

bottom of page